“Fé é não ter medo. Mais importante do que a fé são os resultados da fé”. Essa é uma verdade que cada vez mais gera perseverança, paciência e esperança no coração dos missionários Caleb Mubarak e Mariana Duarte.

No Norte da África, campo onde atuam, seguir a um Deus diferente daquele que as autoridades orientam é considerado crime. No sábado (13), Mariana e Caleb participaram de uma mesa-redonda sobre a igreja perseguida, promovida pelos jovens da Igreja Batista Itacuruçá, no Rio de Janeiro.
O pastor da juventude, Carlos Daniel, e aproximadamente 60 jovens receberam os missionários que, num bate-papo sério, porém descontraído, conheceram mais dos últimos acontecimentos no campo missionário.
Caleb colaborou muito neste sentido quando fez uma apresentação dinâmica, interessante e conectada sobre seu trabalho. Interessados, os jovens perceberam que a palavra “missionário” é sinônimo de multifuncionalidade, estímulo das múltiplas inteligências e uso dos sentidos para aprender e compartilhar o que se aprende, tanto sobre Deus e a salvação em Cristo, como sobre a vida e a humanidade.

 Levar Cristo a estes povos é mais do que falar; é saber viver entre eles. Várias pessoas conversaram com os missionários após o culto. O Pr. Carlos Daniel notou algo interessante: na juventude de sua igreja tem muita gente que ama Missões; mas muitos ainda não perceberam isso.
Talvez este assunto deva ser pauta para a orientação vocacional em nossas igrejas: saber como falar a respeito da obra de evangelização mundial é saber despertar em nossa juventude o “saber” de sua vocação e de sua missão.
Parcerias como essa entre a igreja e a JMM são um espaço de diálogo que podem colaborar com a mobilização de pessoas por Missões Mundiais em todo o Brasil.

 Fonte: http://www.jmm.org.br/